March 30, 2009 - Day two

March 30, 2009 - Day two

1o. C

Acordei meio perdida, já que não tinha recebido qualquer orientação de que serviço procurar no primeiro dia. Tinha, claro, uma noção do que precisava fazer, mas não tinha os endereços. Achei um guia dos primeiros dias no site Settlement.org e entendi que precisava ir a um NIC (Newcomers Information Centers). Existem esse centros em vários lugares e decidi que iria NIC do YMCA aqui de Toronto.

Calça térmica (que eu não vou dar bobeira com frio), calça jeans, blusa de linha com manga três quartos, casaco de cashmere (que, apesar de fino e leve, esquenta), sobretudo, meia, tênis, cachecol. Coloco minha mochila nas costas e lá vou eu. Primeira parada: Eaton Centre para comprar mapa.

Compro um mapa plastificado e dobrável, para não precisar ficar pagando mico por aí. Compro um muffin e lá vou eu pra rua de novo. Adivinha o que eu esqueci de vestir? As luvas! Impossível comer muffin com as mãos congelando. Avalio se é melhor voltar pro hotel, mas acho melhor seguir em frente.

O celular, que está na mochila, toca. Eu com as mãos congelando, um muffin na mão, um guardanapo na outra, o mapa embaixo do braço e, pra completar, toda aquela mobilidade normal que se tem quando se veste toda essa roupa. OK. Atende o telefone e você começa a pensar que uma mochila talvez não seja a melhor opção. Você vai morder o muffin e o mapa cai no chão, enquanto você atravessa a rua. Definitivamente, mochila não é uma boa idéia. E preciso de uma bolsa cujo acesso fique na frente, que você abra e feche com facilidade, sem ginástica ou contorcionismo.

Mas você segue em frente. Entra na rua que você pensa que é a certa, caminha até o suposto número. Não é lá. Você pega o seu celular (ainda bem que o muffin já acabou) para confirmar o endereço no site. Por que o seu plano de dados não funciona justamente nessa hora? Resolve tentar o aplicativo de mapas, tudo isso com os dedos congelando, caa vez com menos sensibilidade e coordenação no toque. Nota mental: NUNCA saia sem luvas. Talvez seja uma boa deixar uma luva reserva sempre dentro a bolsa. Se esquecer, terá uma lá.

O marido liga e diz que em uma hora estará livre para fazer algo. Voce avalia sua situação: dedos congelados, sem o endereço do destino, mochila. Decide voltar ao Eaton Centre para comprar uma bolsa tipo carteiro e ir ao hotel confirmar o endereço, além de encontrar o marido. No caminho, inventa desculpas para entrar em algumas lojas e, momentaneamente, descongelar as mãos.

O Eaton Centre e o paraíso! Não só das compras. É tão quentinho… Logo na entrada tem as bolsas da Sears e dois modelos legais da Roots. O valor é meio caro pros seus padrões, mas aí você pensa que não bancar a estabanada na rua não tem preço. Compra e segue pro hotel, sem precisar sair no mundo de novo. Ufa.

Chega ao hotel, arruma a nova bolsa, pega logo as luvas e coloca lá dentro. Senta no computador pra ver o bendito endereço, anota no celular. O marido chega e vocês decidem ir até o Service Canada do City Hall para tirar o SIN Number, que é o “CPF” daqui.

Aparentemente, o lugar não está cheio, mas uma hora depois ainda não tinha chegado nossa vez. Quando finalmente chega, temos contato com a pessoa mais antipática do país até agora. Ela pede pra ver o passaporte e o formulário de confirmação do landing. Você anota o nome de solteira da sua mãe num papel e o nome do seu pai - isso depois que você entende o que ela quer, pois ela fala mais rápido do que sei lá o quê, apesar de saber que inglês não é sua língua nativa e que você está no país há menos de 24 horas. Ela confere essas informações, faz cara feia, pergunta seu endereço e telefone. Quer saber se você é gêmeo ou trigêmeo. Depois repete tudo como se estivesse com uma pressa enorme para se livrar de você e pergunta se as informações estão corretas. O detalhe é que ela não fala os nomes, ela soletra. Agora imagina isso. A mulher soletrando em inglês o seu nome, o nome dos seus pais, o seu endereço, com zip code, seu telefone. Tudo isso em 5 segundos. E aí, tá tudo certo? Você não tem nem tempo de pensar! Você diz que está tudo certo torcendo para que efetivamente esteja (afinal, você está morrendo de medo de dizer que não. Pela cara dela, as chances de ela te comer viva são enormes.). Ela imprime um papel com o seu número e algumas instruções. Pronto, em duas semanas o cartão chega pelo correio. O marido passa pelo mesmo processo e pronto. Somos residentes com SIN number agora!

À essa altura o marido não só perdeu o horário do almoço, como perdeu uma palestra inteira. E eu já desisti de ir ao YMCA naquele dia, mas sei que quando resolver ir terei a enorme facilidade de ter o Google Maps instalado no meu Nokia E61, o que foi feito durante o chá de cadeira na Prefeitura. Resolvo visitar uma amiga que mora em North York.

A região comercial não é lá muito bonita naquela parte da cidade, mas as ruas residenciais são uma graça. Casas enormes e lindas dividem o espaço com casas mais simples. Nenhuma tem muro, pelo menos não na parte da frente. Passo a tarde com minha amiga e vou buscar a filha mais velha na creche. Muito legal! As crianças falam em inglês entre si e, ao verem as mães, passam imperceptivelmente para a língua nativa, voltando para o inglês pra falar com o coleguinha.

Enquanto estamos lanchando, o marido liga pra dizer que acabou a última palestra e que recebeu um e-mail… da Universidade de Toronto… dizendo que ele foi aceito para o mestrado!!! Infelizmente, não tem informação quanto à bolsa. Para isso teremos que esperar a carta oficial chegar, mas o fato de ter sido aceito já é bem legal.

Volto para o hotel com a cabeça a mil pensando o que faremos agora. Brasil ou Canadá? Saímos para um jantar de comemoração e desmaiamos na cama.

Envie por e-mail.

Escrito por K em Wednesday, April 1, 2009, às 8:57.

« Anterior: Landing - Próximo: March 31, 2009 - Day three »

12 Comentários (OBA!) »

  1. Comment by Octavio

    Camila! Que bom ter noticias de voces! Imagino a intensidade desses primeiros dias. Emocionates seus relatos. Espero que de tudo certo, estou torcendo. Fico feliz do meu blog preferido ter voltado a atividade regular. beijos e abracos

  2. Comment by Andréa

    Que boa notícia, Camila! Espero que o Julio fique mais “animadinho”… Estamos torcendo muito pra que vocês decidam continuar a vida no Canadá. Se quiser, pode me ligar no Nextel, OK? Vou ver se levo pra casa, pra podermos nos falar à noite também.
    Beijos,
    Andréa

  3. Comment by Carina

    Camila,
    que máximo a maratona…pelo menos para quem está lendo…rs!
    Boa sorte nas próximas aventuras. Com certeza estarei aqui acompanhando!
    Beijos
    Carina

  4. Comment by Ana Claudia

    Canadá! Canadá! Canadá!

  5. Comment by Iris

    Adorei ter notícias de vcs! Parabéns para o Júlio, ótima notícia!
    Até breve!
    Bjs,
    Iris

  6. Comment by Vitor

    Oi K, tudo bem?

    É impressionante como há pessoas tão sem noção (de educação, sensibilidade, paciência…), não é mesmo? Ela sabendo que o números de imigrantes chegam no Canadá perdidos, precisando de auxílios e eles são tratados dessa forma. Uma mulher dessa deveria ser presa! Hehehe…

    Adorei sua narração dos fatos! Hehehehe… É vivendo e aprendendo! :D Garanto que da próxima vez a luva não será mais esquecida. Hehehehe…

    Grande abraço

  7. Comment by Wagner

    Karina,
    1º: o seu blog é muito importante para nós
    2º: a sua idéia de detalhar o cotidiano foi excelente, vou acompanhar igual novela das 8.
    Abraços
    God bless you

  8. Comment by Flavio E Meg

    Prepare-se para o próximo inverno. Agora tá “quentinho” já… :)
    Google maps que nada, instala o http://www.mgmaps.com/ com ele da pra baixar os mapas do google maps, yahoo maps e tudo mais pra dentro do cartaod e memoria e assim nao precisa pagar trafego de dados pra operadora. Depois eu passo as dicas com mais detalhes se voce quiser.

  9. Comment by Ciça

    Ele foi aceito no mestrado??? A duvida continua??? A pisa tá chegando perto!

  10. Comment by Taís Jacques

    Camila parabéns p/ seu marido por ele ter sido aceito no mestrado…e parabéns p/ vc, pelo seu relato bem descrito do seu primeiro dia aí…

    bjs

    Taís Jacques

  11. Comment by Marilena

    Olá Camila,

    muita correria por aqui e só agora estamos conectados novamente. Assim que possivel vou te ligar.
    Fiquei surpresa em relação ao social insurance porque nós temos sido muito bem tratados em todos os lugares em que fomos até agora. As pessoas aqui em Mississauga estão sendo super solícitas e pacientes.
    Foi super legal saber sobre a feira de empregos e ter uma ideia de como funciona. Aquele dia foi impossivel porque tinhamos que deixar o hotel e vir para o apartamento novo. Ainda não conseguimos colocar as coisas em ordem mas já compramos os primeiros moveis e logo logo vai dar até pra receber uma visitinha pra jantar (pizza porque ainda não me acertei direito com a comida daqui).

    bjs

  12. Comment by Jeanne

    Engracado vc achar que esta frio, pois nos estamos achando “quentinho” ja. rsrsrs
    Se precisar de dicas com seu resume me da um toque.
    :)

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe seu comentário

Se você quiser deixar algum comentário, basta preencher o formulário abaixo.

(required)

(required)



  • Rio de Janeiro, BR
  • Toronto, CA
  • Vancouver, CA
  • Visitantes desde Julho/07

  • Assinar o blog