Career Exploration

Career Exploration

Nos últimos posts e ao longo da existência deste blog, eu tenho falado sobre que carreira eu devo escolher no Canadá. Aliás, devo, não, que carreira eu quero escolher no Canadá. Dever por dever, provavelmente, eu deveria continuar no Direito, que, tanto quanto aqui, tem um bom retorno financeiro no Canadá. Mas sabe como é, cometer o mesmo erro duas vezes na vida não é lá muito inteligente.

Quem me conhece um pouco melhor ou acompanha esse blog há um tempo, sabe que já oscilei entre várias áreas, tão opostas quanto Psicologia e Matemática. Vocês podem imaginar a minha alegria quando, ao longo de uma conversa com uma pessoa recém-conhecida enxerguei uma luz no fim do túnel. Tínhamos acabado de chegar em Toronto (aos pára-quedistas: eu estou no Rio, Brasil) e fomos reencontrar alguns amigos, que levaram novas pessoas para o grupo. Conversa vai, conversa vem e uma das mulheres diz que ela mudou de profissão depois que chegou no Canadá. Perguntou “como, porquê, onde” e ela disse que tudo começou num workshop de career exploration no JVS Toronto. A intenção do curso é o que o nome diz: explorar as infinitas opções de carreira.

No dia seguinte, lá estava eu na filial de downtown do JVS Toronto. Infelizmente, as coisas não eram tão simples. Eu tinha que primeiro participar de uma sessão de apresentação, onde uma das funcionárias falaria sobre todos os workshops e serviços oferecidos pela instituição. Não importa se você já sabe o que quer (once in a lifetime!), tem que passar pela tal sessão. Só depois você pode pedir pra se inscrever num ou noutro workshop.

Enquanto eu esperava a data da próxima sessão, duas semanas depois, eu comecei o workshop de “como procurar emprego” no Skills for Change. Numa das aulas, o professor fala sobre como é importante nós nos conhecermos bem, sabermos identificar nossas qualidades, para, assim, vendermos nosso peixe para uma empresa. O bom vendedor conhece muito bem seu produto, não? Uma das formas para aprofundarmos esse conhecimento sobre nós mesmos, dizia o professor, era fazer um workshop de career exploration. Ele mesmo tinha feito uns anos antes e decidido mudar de carreira. Na vida passada, ele trabalhava com informática.

É, parecia que eu estava no caminho certo. O único problema é que quando eu finalmente consegui me inscrever para o workshop só tinha vaga quase dois meses à frente. Não tinha argumentação que funcionasse, tinha que esperar. Decobri que outros lugares também ofereciam esse tipo de curso, como o Humber College, mas todos tinham o mesmo procedimento para começar e sempre com uma espera grande.

Finalmente chega a data e começo o meu workshop. Poderia escrever um pequeno livro sobre ele, mas vou tentar resumir antes de esse post ficar chato demais. O primeiro detalhe é que fiz um curso só para mulheres, pois a filial de downtown do JVS é “women only”. Esse workshop faz parte do programa Women in Successful Employment (WISE).

Ao longo das duas semanas de curso, fazemos três testes vocacionais, que têm marca registrada e tudo! São eles: Personality Dimensions, Skill Scan e Who Am I?. O Google deve estar cheio de informações sobre eles, pois parecem ser testes abrangentemente usados. Várias colegas de classe disseram que já tinham feito alguns deles quando estavam na escola. 

Cada um desses testes e outras atividades que fazemos indicam um série de profissões ou áreas que são compatíveis com o seu perfil. Nós vamos anotando todos esses resultados numa única planilha, pois no final fica bem legal olhar as coincidências, ou não, entre eles.

Além disso, tem um material interessante sobre como enfrentar as barreiras no caminho, passos para conseguir tomar grandes decisões, relacionar-se com outras pessoas, enfim, uma série de cosias que aqui pode soar como auto-ajuda barata, mas que, pelo menos pra mim, foi bem útil e enriquecedor.

Um coisa que não tem preço nesse grupo é a vivência com as outras pessoas da turma. No meu caso, a maioria era canadense e tinha algumas imigrantes, mas que já estavam no Canadá há vários anos. Descobri muito sobre o Canadá, o mercado de trabalho e os hábitos do lugar, principalmente questões profissionais. Tipo, é comum eles terem 10.000 empregos diferentes e ainda estarem procurando por algo novo! Tinha dias que quase virava uma sessão de terapia em grupo, pois a escolha profissional tem tudo a ver com sua vida, sua história, e a gente acabava dividindo parte disso na turma.

O ponto alto do curso é o dia da apresentação. A essa altura, nós já fizemos todos os testes vocacionais previstos e estamos com a nossa planilha completa. Cada aluna recebe uma cópia da sua planilha (com os seus resultados) e você se apresenta para o grupo, falando um pouco mais sobre cada questão, explicando suas prioridades, suas dificuldades, etc. Aí você se cala e o grupo “brainstorm” opções de profissões para você. Nesse momento você não pode falar nada, apenas ouvir enquanto as outras falam e a professora escreve tudo numa cartolina. É muito interessante ver o que sai, tem coisa que nunca te ocorreu. Uma das minhas colegas estava certa – e cismada – que eu tinha que ser política! Ela dizia que o Canadá precisava de alguém como eu – rs!

Você não sai do curso com a certeza do que vai fazer, mas sai com muitas ferramentas para decidir. Minha única reclamação é que falta informação sobre educação formal, que tipo de curso leva a quê, para ser o profissional X, você tem que fazer o curso Y, esse tipo de coisa. Teoricamente, sua orientadora (cada uma tem a sua) deveria trabalhar isso individualmente com você, mas eu devo ter dado azar, pois a minha falou que eu tinha que pesquisar. Como se eu já não soubesse disso! Infelizmente, pesquisar sozinho nem sempre é suficiente, mas é um caminho. Pode demorar mais, mas eu chego lá (sempre contando com a ajuda dos meus leitores queridos).

Envie por e-mail.

Escrito por K em Tuesday, September 15, 2009, às 17:25.

7 Comentários (OBA!) »

  1. Comment by Taty

    Nossa, essas mudanças de “estrada” são complexas…. eu mesma, se fosse escolher hj a facu não teria feito engenharia, teria feito economia!… mas eu falo sempre, pra todo mundo… não tá feliz tem que mudar… não que nem louco… deixando tudo pra trás, mas as vezes da pra conciliar as coisas até com a experiência que vc tem…

    dou o maior apoio…. ;)

    beijocas

  2. Comment by Octavio

    Genial! Vou procurar um desses quando chegar!
    Valeu a dica.
    bjs

  3. Comment by Diogo

    Muito bacana e util seu post.

    Por favor escreva mais sobre esses assuntos e nos mostrando os servicos que temos disponiveis em Toronto.

    Muito obrigado!

  4. Comment by Diogo

    Eu entendo. Ja tentei fazer blog tb e foi desastroso (falta de tempo).

    O que vc escrever sobre esse assunto já será lucro pra mim (provavelmente “nós”)

    abcs!

  5. Comment by Mariana

    Poxa, muito bom! Ainda fico encantada com todas essas coisas oferecidas pelo governo por aqui.

    Bjs, Mari

  6. Comment by Pri

    K,
    Muito legal o seu relato.
    E muito útil também!
    Obrigada pelas dicas.

    Um abraço,

    Pri e Rico (prima do Dory - http://www.saidatuaterra.blogspost.com)

  7. Comment by Flavia

    K, achei o MAXIMO esse teu relato - adorei…’viajei’ lendo ele.. imaginando TB trocar de area !!! :D
    bjos - quem sabe ne ..?!
    Flavia

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe seu comentário

Se você quiser deixar algum comentário, basta preencher o formulário abaixo.

(required)

(required)



  • Rio de Janeiro, BR
  • Toronto, CA
  • Vancouver, CA
  • Visitantes desde Julho/07

  • Assinar o blog